Publicado na CompliancePME em 11 de dezembro de 2023

A Braskem será retirada do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, a partir da próxima sexta-feira. A decisão foi comunicada hoje pela bolsa e é resultado do agravamento da crise em Maceió, onde bairros sofrem com abalos sísmicos e estão em estado de alerta sobre possível colapso da mina de sal-gema da petroquímica. Por conta do estado de emergência decretado pela Prefeitura de Maceió, envolvendo uma mina da Braskem, a bolsa iniciou na última sexta-feira seu ‘Plano de Resposta e Eventos ESG’. O documento determina o fluxo que a B3 segue quando acontecem eventos e crises ESG ligados a empresas que integram o ISE.

Em comunicado, a bolsa informa que “a decisão não deve ser tomada como pré-julgamento das responsabilidades da companhia, mas decorre da aplicação do disposto na metodologia do ISE B3”. O texto explica que um novo dispositivo prevê exclusão de ativos que “durante a vigência da carteira se envolvam em incidentes que as tornem incompatíveis com os objetivos do ISE B3, conforme critérios estabelecidos na política de gestão de riscos do índice”. A Braskem integrava o ISE desde o lançamento do índice, em 2005, mas nos últimos anos passou a ter sua manutenção questionada quando começou a ficar clara a gravidade do desastre socioambiental na capital alagoana. Até aqui a B3 vinha afirmando que estava acompanhando o processo.

Publicada originalmente no site da XP